Luto e suas transformações
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Uma das grandes preocupações das pessoas que enfrentam o dissabor de se despedir de quem amam é voltar ao seu normal.

A partir daqui tentarei responder a duas perguntas: 

O que é necessário para voltar ao normal? e Que normal é esse?

Começando pela primeira pergunta, penso que existem inquietações que fazem com que as pessoas queiram descobrir uma fórmula simples para “vencer” o pior momento de suas vidas. Existe o medo de não aguentar a saudade, enlouquecer e nunca mais se “curar” e existe uma preocupação com o tempo. 

O luto, é um processo de elaboração e adaptação a uma nova realidade, adaptação esta que envolve muitas emoções desconfortáveis. Tem como ser diferente? Tem como amar profundamente uma pessoa e quando ela morrer nada mudar em você ou na sua vida? Tem como enfrentar uma transformação dessa magnitude sem desconforto?

Freud, pai da psicanálise afirmou: 

“…aquilo que não foi compreendido inevitavelmente reaparece; como um fantasma que não pode descansar até que o mistério tenha sido resolvido e o encanto quebrado.”

Com esta afirmação de Freud e a partir da observação clínica já feita por inúmeros especialistas em luto é possível afirmar que a maneira mais eficiente de superar a pior fase após a perda de alguém significativo, é compreender o impacto desta perda na sua vida, tudo o que mudou e o que a pessoa amada e perdida significava em sua vida, para só então poder seguir. 

Essa compreensão não é do tipo que se aprende em livros, é uma compreensão que passa pela vivência pessoal, um aprendizado individual que só será possível pela experimentação de todas as emoções do luto. 

O risco que se corre quando se tenta reproduzir uma fórmula mágica, fácil e rápida como um manual com o passo a passo para vencer o luto é o de não ter entendido direito o que aconteceu dentro e fora de si e o sofrimento do luto mal elaborado reaparecer anos depois surpreendendo a todos.

Agora, voltando àquela segunda pergunta; Que normal é esse? 

Voltar ao normal…

Voltar?

Após a perda de alguém muito importante e amado inicia-se um processo de luto.

A perda é real e definitiva e muda tudo.

Ao final disso tudo não existirá mais aquele normal que se conhecia. A vida nunca mais será a mesma. Será um outro normal. 

Após a experiência do luto, as pessoas terão passado por transformações grandiosas, terão se adaptado e reaprendido a viver com uma ausência.

É possível sobreviver ao luto sem enlouquecer, mas quando se recuperar você não será mais como antes. Será diferente e poderá ter um lugar especial dentro de você para guardar todas as memórias da pessoa que fez parte de sua vida e continuará fazendo parte de quem você se transformou. 

Karina Zanini Marques

Karina Zanini Marques

Tradutora formada pela Univem desde 2003 e Psicóloga formada pela Unimar desde 2010 (CRP 06/103536) tem se dedicado profissionalmente única e exclusivamente ao ofício de Psicóloga.

Deixe seu Comentário

Queremos te contar tudo o que acontece na Angelus!

Prometemos não enviar Spam. Conheça nossa Política de Privacidade para mais informações.

Você move nossa evolução.