Dia dos pais
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

As datas comemorativas são muito dolorosas para quem essas datas lhes fazem lembrar do que perdeu. 

Dentro de um processo de luto, muitas são as primeiras vezes sem a pessoa que se foi e o primeiro dia dos pais para o pai que perdeu o seu filho, ou para o filho que perdeu o seu pai é especialmente difícil.

O dia dos pais também é uma data que nos faz pensar na paternidade responsável, na função paterna, na presença e na ausência dos pais vivos e ainda assim ausentes.

Quando se trata de emoções… mesmo as mais difíceis, precisamos acolhê-las.

Acolher significa abraçar, validar. É preciso acolher a criança que perdeu seu pai e perguntar a ela se gostaria de homenagear de alguma forma o seu pai. Sim! A criança enlutada pode querer escrever uma carta, fazer um desenho ou simplesmente recordar e falar sobre seu pai, olhar fotos, ver vídeos com ele… 

O dia dos pais não é uma data apenas para celebrar a presença do pai, não é só para presentear seu pai vivo, mas também para honrar e demonstrar sua gratidão ao seu pai que já partiu, mas que permanece vivo dentro do filho, em suas lembranças e influenciando sua vida.

O dia dos pais também é uma data perfeita para que o pai que perdeu o seu filho chore e dê risadas ao se lembrar dos momentos bons vividos, para que abrace seu filho simbolicamente ao olhar as fotos e vídeos, ao visitar o túmulo e deixar uma flor, ao sentir-se grato por ter tido este filho. 

Quando se trata de crianças, existe uma preocupação, principalmente das escolas sobre a possibilidade de crianças sem seus pais participarem das homenagens de dia dos pais.

Algumas crianças podem querer fazer uma cartinha, um desenho, uma lembrancinha e deixar no túmulo de seu pai, podem querer participar da apresentação do dia dos pais porquê acreditam que o pai ficará feliz de onde estiver. Outras crianças podem realmente não querer participar, então o ideal é saber da criança o que ela quer e antes de perguntar à criança, saber como está o adulto responsável por ela. Precisamos saber se o adulto responsável (mãe ou outro familiar) está em condições de dar suporte à esta criança caso ela se emocione nesta homenagem. 

Vale lembrar também que esta pode ser uma excelente oportunidade para se trabalhar a educação para a morte com as crianças capacitando a todas a lidarem melhor com esta temática de forma a viverem melhor e com menos medo. Oportunidade inclusive de dar a possibilidade de os coleguinhas de turma exercitarem a solidariedade e de repente, se quiserem, homenagear o pai daquela criança que não tem seu pai vivo.

O dia dos pais é um dia de gratidão. 

Que você possa celebrar o dia dos pais honrando as memórias e com gratidão por tudo o que foi vivido.

Karina Zanini Marques 

CRP 06/103536

Karina Zanini Marques

Karina Zanini Marques

Tradutora formada pela Univem desde 2003 e Psicóloga formada pela Unimar desde 2010 (CRP 06/103536) tem se dedicado profissionalmente única e exclusivamente ao ofício de Psicóloga.

Deixe seu Comentário

Queremos te contar tudo o que acontece na Angelus!

Prometemos não enviar Spam. Conheça nossa Política de Privacidade para mais informações.

Você move nossa evolução.